Home / Saúde / Bursite de ombro: causa, sintomas, tratamento e prevenção – Por Fernanda Colella

Bursite de ombro: causa, sintomas, tratamento e prevenção – Por Fernanda Colella

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votes, average: 1,00 out of 5)
Loading...

A bursite é uma inflamação da Bursa, que é uma bolsa que possui líquido sinovial e são revestidos de fibras de colágeno e membrana sinovial. Tem a função de minimizar o atrito entre duas estruturas como tendão e osso ou tendão e músculo, a diminuição da irritação associada ao movimento; protege a proeminência óssea. As bursas se localizam geralmente perto da inserção do tendão e articulação. Ocorre esse tipo de patologia principalmente nos ombros, cotovelos e joelhos.

As causas da bursite podem estar relacionadas à:

  • Traumatismos;
  • Infecçőes;
  • Lesőes por esforço;
  • Uso excessivo das articulações;
  • Movimentos repetitivos;
  • Artrite (inflamaçăo das articulaçőes);
  • Gota (depósito de cristais de ácido úrico na articulação).


Os sintomas variam de:
·                    Dor;
·                    Edema;
·                    Inflamaçăo;
·                    Dor noturna e aos esforços;
Podendo chegar a dificuldades para elevar os braços, e ocorrer  irradiação para o braço do mesmo lado e sensações de formigamento.
O tratamento é feito com medicamentos, medidas físicas (compressas, gelo), fisioterapia, exercícios e dependendo da gravidade, infiltração.
 
A seguir alguns exercícios de reabilitação para a Bursite do Ombro:

1 – Amplitude de Movimento Escapular:



Em pé, levar os ombros para cima, comprimir as escápulas, uma de encontro à outra. Depois, empurrá-las para baixo como se estivesse colocando as mãos nos bolsos de trás da calça.

Manter por 5 segundos, relaxar e repetir 10 vezes.

2 – Exercícios Com Bastão: 

A)           Flexão do Ombro: Em pé, segurar um bastão com as mãos, com as palmas para baixo.  Levar os braços esticados até a cabeça.  Manter por 5 segundos, relaxar e repetir 10 vezes.

B)           Rotação Externa: Em decúbito dorsal, segurar um bastão com ambas as mãos, palmas para cima.   Os braços devem ficar apoiados no chão, ao lado do corpo e os cotovelos flexionados a  90º.  Com o braço são empurrar o braço lesionado e afastá-lo do corpo.  Os cotovelos devem ficar imóveis.   Manter por 5 segundos e repetir 10 vezes.

C)           Extensão do Ombro: Em pé, segurar o bastão com as mãos atrás de seu corpo, afastá-lo das costas. Manter  por 5 segundos, relaxar e repetir 10 vezes.

 

3 – Isométricos:

A) Rotação Externa: Em pé, de frente para uma porta aberta, com o cotovelo dobrado a 90º e com o dorso da mão encostado no batente. Aplicar força contra o batente. Manter por 5 segundos, relaxar e repetir 10 vezes.

B) Rotação Interna: Em pé, de frente para uma porta aberta, com o cotovelo dobrado a 90º e com a palma da mão encostada no batente da porta. Aplicar força contra o batente. Manter por 5 segundos, relaxar e repetir 10 vezes.

 

4 – Exercício de Rotação Externa Com a Faixa Terapêutica (Thera Band):

Em pé e com a mão do lado lesionado em repouso sobre o abdômen, segurar a faixa que deve se encontrar presa a uma maçaneta de porta, do lado oposto ao braço lesionado e puxá-la rodando o braço para fora e afastando a mão da cintura, sem desencostar o cotovelo do corpo. O cotovelo deve estar dobrado a 90º e o antebraço, paralelo ao chão. Repetir 10 vezes e evoluir para 3 séries de 10.

5 – Exercício de Supraespinhoso:

Em pé, braços descansados na lateral do corpo e polegares apontados para o chão, inclinar levemente o tronco para frente e levantar os braços lateralmente. Conservar os cotovelos (braços) estendidos. Levar as mãos até a altura do ombro. Manter por 10 segundos, descansar e repetir 10 vezes. Gradualmente, adicionar carga ao exercício, segurando pesos com as mãos para aumentar o fortalecimento.

Quando retornar ao esporte ou à atividade?
Ao retornar muito cedo, existe sempre o risco de piorar a lesão, o que provocaria um dano permanente, ao paciente.
Como cada caso é um caso e cada pessoa tem uma recuperação diferente da outra, o retorno ao esporte ou à atividade será determinado quando:
·                    O ombro lesionado estiver com total amplitude de movimento, sem dor;
·                    O ombro lesionado tiver recuperado força normal, comparado ao ombro são.
Agora que já sabe um pouco mais sobre bursite, que tal preveni-la?
  • Aquecer e alongar o ombro adequadamente, antes de atividades como arremesso, tênis e natação.
  • Caso o ombro comece a doer durante tais atividades, é importante desacelerar, até que a dor passe.

Escrito por Fernanda Colella – Fisioterapeuta
Crefito – 41247-LTF

About Equipe Treinos Academia

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Scroll To Top