Home / Treinos / Treino para aumento da força

Treino para aumento da força

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votes, average: 3,67 out of 5)
Loading...

Ao contrário do que muitos pensam, o treino de força não é igual ao treino de Bodybuilding. Apesar de alguns pontos em comum que estes dois tipos de treino possam ter, é importante que percebam, que massa muscular não significa força. Com o treino de força seguramente poderão vir a ganhar massa muscular, mas tenham em mente, que estes ganhos não serão de todo similares aos de uma pessoa que siga uma rotina de bodybuilding, terão no entanto ganhos de força bastante superiores.

Para que melhor compreendam as diferenças, entre o que é o Bodybuilding e o treino de força, coloco uma pequena descrição de cada um que vos ajudará a perceber melhor as diferenças existentes entre estes dois tipos de treino.

O bodybuilding, mesmo para principiantes, é algo que exige um empenho de 24 horas diárias 7 dias por semana. É um esporte em que os praticantes alternam entre treinos de pesos e cardio, fases de massa e de seca. A dieta é muito mais importante no Bodybuilding do que no treino de força. Os bodybuilders necessitam de um plano alimentar cuidado com as quantidades e tipos corretos de comidas, bebidas e suplementação.
Tudo isto é feito com o único objetivo de criar um corpo com o máximo de massa muscular e com um mínimo possível de massa gorda.

O treino de força por sua vez, não tem qualquer tipo de preocupação quanto à forma e massa dos músculos. Sendo assim terão uma maior liberdade em termos de dieta e mais restrições no programa de treinos. Aqui a única coisa que importará será levantar cada vez mais peso. Pouco importa o crescimento muscular uma vez que este não é por si só um indicador de força. O objetivo é só um: levantar peso, e levantar cada vez mais!

 

Exercícios

 

Para exercícios devem recorrer-se aos movimentos básicos de musculação. Fazem parte destes movimentos básicos os seguintes exercícios:
Agachamento;
Elevações;
Peso morto;
Supino plano.

 

Estes são os movimentos clássicos do treino de força. A estes podem depois acrescentar outros como curl (bícep), press militar (ombro) mas mantenham-se nos movimentos básicos para cada tipo de músculo, nada de inventar. Esqueçam totalmente os exercícios de isolamento muscular.

Ao executar um exercício devem-se utilizar tempos de 2 segundos na parte positiva (2s para erguer o peso), e 4 segundos na parte negativa do movimento (4s para voltar com o peso à posição original). Estes valores podem ser utilizados por vocês como indicadores, para que certifiquem-se que não estão executando o exercício muito rápido. O objetivo é executar o movimento de forma controlada utilizando os músculos para deslocar o peso, e não utilizar movimentos explosivos que mais não fazem do que aumentar a probabilidade de se lesionarem.

 

Pesos livres

 

Esqueçam as máquinas, ponto final! As máquinas têm por função isolar determinados grupos musculares. Devem ser utilizadas por pessoas que pretendam trabalhar a forma de grupos de músculos e não para ganhar força. A melhor forma que têm de ganhar força bruta é trabalhar com pesos livres. Estes serão melhores instrumentos de trabalho.

 

Treino preparatório

 

Uma vez que iremos trabalhar com pesos elevados, a preocupação nesta fase será a de conseguir executar corretamente os exercícios. Isto é muito importante para prevenir lesões, e desenvolver força nos músculos que servirão de estabilizadores quando fizer treino com peso elevado.
Nesta primeira fase (8 semanas para iniciados, 4 semanas para quem já praticava bodybuilding) apontem para cerca de 3 exercícios (2 para grupos musculares grandes e 1 para grupos musculares pequenos) de 4 séries (8/12 repetições por série).

 

O treino deverá ser algo no gênero:

 

Dia 1: Peito/ombro
Dia 2: Perna
Dia 3: Costas/abdominais
Dia 4: Braços

 

Não se esqueçam que como dito anteriormente, devem dar prioridade a exercícios como agachamento, elevações, peso morto, supino, etc.

 

Em alternativa podem combinar peito com tríceps, costas com bíceps e ombro com abdominal. Vejam apenas a melhor combinação para que o treino do grupo muscular maior influencie ao mínimo o treino do grupo muscular menor.

 

Lembrem-se sempre que o mais importante é executar os exercícios corretamente como preparação para o treino que se seguirá. Aqui não interessa se levantam muito ou pouco peso, certifiquem-se apenas que desenvolvem uma boa técnica na execução dos exercícios.

 

Rotina de força

 

Nesta parte começa o trabalho a sério. Para terem uma melhor ideia de como tudo funciona, tentem imaginar o treino como uma pirâmide. Começarão com um volume elevado de séries e repetições, diminuindo progressivamente à medida que vão avançando no treino. Para efeitos de treino de força os melhores resultados obtidos têm sido utilizando 3 a 6 repetições por série.

 

Ao contrário do treino de massa que muitos estão habituados, aqui não vamos forçar o músculo a crescer mas, a ser capaz de responder a cargas mais elevadas, como tal não nos interessa um grande volume de treino. O tempo de descanso entre séries deve também ser bastante elevado. Uma vez que pretendemos que o corpo desenvolva força, é importante que se dê bastante tempo ao músculo para descansar. De todas as formas tentem não exceder 5 minutos entre séries. Em volta dos 3 minutos será o ideal. Estes valores não são rígidos (exceto o dos 5 minutos uma vez que a intenção é treinar e não fazer sala na academia).

 

Coloco aqui um exemplo de rotina para pernas:

 

Semana 1 & 2
Agachamento – 6 séries de 6 repetições
Bons dias – 5 séries de 4 repetições

 

Semana 3
Agachamento – 5 séries de 5 repetições
Bons dias – 5 séries de 4 repetições
Semana 4
Agachamento – 4 séries de 4 repetições
Bons dias – 5 séries de 4 repetições

 

Semana 5
Agachamento – 3 séries de 3 repetições
Bons dias – 5 séries de 4 repetições

 

À medida que se baixa o número de séries e repetições vai-se aumentado o peso. Chegando às 3 séries finais voltariam ao esquema da 1ª semana mas desta vez, com um peso mais elevado do que utilizaram inicialmente. Tenham em atenção que estes são apenas valores representativos, vocês é que saberão de quanto tempo precisam para poder avançar no treino. Podem manter-se algum tempo (cerca de 3 semanas) no esquema de 3 séries mas se estiverem a utilizar uma carga perto dos 90% da vossa 1RM (máximo de peso com o qual conseguem executar uma repetição), devem voltar logo ao início da pirâmide.

 

Façam sempre um bom aquecimento e tenham especial cuidado com as costas e joelhos. O músculo é que deve absorver toda a força, concentrem-se nisto ao máximo por forma a evitar problemas de coluna ou a nível de articulações! Utilizem igualmente cinto para proteger as costas em todos os exercícios que possam forçar muito esta zona do corpo.

 

Este método de treino é apenas um exemplo, testem e vejam que número de séries/repetições funcionam melhor com vocês. No entanto tenham em mente que devem aumentar o número de séries se trouxer melhores resultados, e não porque cansam menos executar séries com mais repetições e menos peso!

 

Atenção ao excesso de treino

 

Como podem ver este tipo de treino é baseado mais em carga do que volume. Tenham portanto em atenção que devem trabalhar tanto quanto possível com poucas séries e poucas repetições. Mais séries e mais repetições favorecem mais o crescimento muscular e não a força. Mantenham igualmente um registro dos pesos levantados em cada sessão de treino. Se de uma sessão para a outra o peso diminuir existem boas hipóteses de estar havendo overtrainning. Manter um registro dos pesos ajuda também a saber qual o peso a bater em cada treino.

 

Alimentação

 

Para se fazer parte do topo da cadeia alimentar deve-se comer como tal.

 

Principalmente antes do treino é importante que ingiram bastantes calorias (de hidratos de carbono) por forma a poderem ter uma boa prestação no treino. Evitem igualmente a ingestão de gorduras antes e depois do treino dado que estas atrasam a digestão.

 

Uma vez que os músculos estarão sujeitos a grandes esforços, é importante a ingestão diária de um mínimo de 2gr de proteína por quilo de peso de forma a permitir uma correta recuperação da massa muscular (podem aumentar a quantidade de proteína se quiserem ter mais alguns ganhos em termos de massa muscular). Estas proteínas devem ser ingeridas ao longo de 6 refeições diárias. A concentração de muitas proteínas numa única refeição não é recomendável uma vez que o organismo tem uma capacidade limitada para o processamento destes nutrientes.

 

Torna-se igualmente importante espaçar a ingestão de calorias ao longo do dia, mas dado que se trata de treino de força, é muito importante que concentrem uma boa parte destas calorias na refeição pré treino (isto não implica irem para a academia ainda sem fazer a digestão).

 

Quem tiver dúvidas quanto ao total de calorias que devem ingerir, apenas precisa de seguir uma regra muito simples. Se estiverem ganhando massa gorda, reduzam as calorias ingeridas (não baixem a ingestão de proteínas, diminuam apenas a ingestão de hidratos de carbono e gorduras sem sacrificar as refeições antes do treino), se estiverem emagrecendo, aumentem a ingestão de calorias. Simples não é?

 

 

 

Fonte: FORCEMUSCLE-ARTIGOS.blogspot.com.br

About Equipe Treinos Academia

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Scroll To Top
FICAR EM FORMA
QUER SABER COMO? (Comprovado)
Parabéns
Confira o Material no Seu e-mail - Aproveite!
Fechar
FICAR EM FORMA
QUER SABER COMO? (Comprovado)
Parabéns
Confira o Material no Seu e-mail - Aproveite!
Fechar